sexta-feira, 7 de outubro de 2011

MEU CORPO NU


Banho
Meu corpo nu
Em jarros brancos
Silvestres

Em água límpida
Minha alma
Sofrida
É desnudada
Para limpar de tal dor
Que meu peito carrega

Em leveza
Transporto-me
Em vapores de aromas
Soltando
Clamores sufocados
Pedindo tua presença

Minhas mãos
Deslizam
Em corpo nu
Cheio de tudo
Vazio de saudade

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

1 comentário:

  1. SAUDADE TERRA ÁRIDA E ESQUECIDA DE REGAR COM SEU ALIMENTO FAVORITO QUE É O AMOR, POR FALTA DE TEMPO OU POR DESILUSÃO QUE SE ABATE CAUSTICANDO COMO O SOL DO MEIO DIA... MUITO LINDO POEMA E IMAGEM MENINA PORTO.

    ResponderEliminar

SENSATEZ?