domingo, 30 de outubro de 2011

LAGO DA SAUDADE


Ah quanta Saudade
No peito
Amargurado
Trancado
Com vontade de gritar
Faz rolar uma lágrima
Triste
No lago da ansiedade
Que ao molhar minha alma
Transborda
Com soluços abafados
Sentido a dor
Que dilacera
E rasga o coração
De feridas por secar…


Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU MULHER E MISTÉRIO