segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

CHUVA QUE CAI



Tombo em chão lamacento
Encharcado
Da chuva que cai
Molhando-me até às entranhas

Meu corpo desenraizado
Escorre em chagas
Que me perfuraram
Com finas lâminas de dor

Espio tormentos meus
Em remoinhos de angústias
Lavados pelas gotas que caiem
Para valetas sombrias…

Sem comentários:

Enviar um comentário