quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

TEMPORAL



Ao relento do entardecer
O céu escureceu
Sobre o mar manso
E procurei a minha estrela

Temporal
Em meu redor
Sem abrigo no porto

Ofusca-se meu esperar
No anseio de angústias
Num horizonte
Sem norte…

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU ASSIM