quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

TORMENTOS DA ALMA



Relâmpagos
Clareiam os céus
Trovoadas
Estremecem a terra
Remoinhos de vento
Soltam a tempestade dentro de mim

Agita-se na alma
Vendavais loucos
Não dando paz
À minha existência

Espero
Que minha dor passe
Minha alma sare
De raios que a atingiram

Que tornados
Levem minha tristeza
Para bem longe….

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU ASSIM