domingo, 11 de dezembro de 2011

ENTARDECER



Ao entardecer da vida
Aconchego-me a ti
Nos braços do mar
Em carinhos de espuma
Que fazem delirar
Sonhar tua presença

Uma voz nos búzios
Diz de mansinho
Quase em segredo
Que não estou só
Pois teu calor
É o sol que me aquece

Minha alma rejubila
Nosso acalentar espraia-se
Em nuvens de sedução…

Sem comentários:

Enviar um comentário