sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

DEBAIXO DE VÉU



Doce e puro véu
Que cobres meu corpo
Em letras e palavras
Deixa minha alma
No desvario das estrelas
Agachar-me sem forças
Pelo obscuro da noite
Sem olhos para ver a Lua…

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO