sábado, 10 de dezembro de 2011

MISTÉRIO



Mistério que me persegues
De manhã
Ao sol-pôr
Com cores quentes
De encanto

Vens de terras distantes
Cajado é teu suporte
No sonho da longa jornada
As aves são o teu guia
Que te trazem até mim

Que segredo tens tu
Envolvido nessas vestes
Carregas ventos brandos
De enigmas por decifrar

Deixa ver o rosto
Pois quero ver teus olhos
Para minha alma acalmar
Mistério me persegue
Não dissimule em sonho…

SONHOS EM PENAS



Penas minhas
Voem até ti
Numa brisa por mim soprada
Quero que elas te toquem
Como carinhos meus

Leve
De mansinho
Para não te acordar
Eu estivesse em sonhos
Nos teus braços
Errantes em imenso amor

As penas já voaram
Pela minha imaginação
Vagueio
Mas só…

TRISTE DOR



Teias que enredam
Sentimentos
Dolosos
Em que lágrimas
Escorrem da alma
Ténues e mansas
Chagas num coração
Machucado
Triste
Abandonado

Escuridão perpétua
Do meu ser
Leva para bem longe
Esta existência fria…

JUVENTUDE



Ah doce juventude
Que encanto tiveste
Na maciez dos sonhos
Como botão em flor
Que desperta para a vida
Em canteiros de amor

Ah risonha juventude
Onde o calor despontou
Em manhãs de sol
Despindo fragrâncias
Em brisas suaves

Ah juventude
Deixando sempre saudade
Não és como o mar
Que vai e torna a voltar…

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

GOTAS DE ORVALHO



Mostrando noites frias
Cintilando à aurora
Olho o orvalho da manhã

Parecem lágrimas caídas
Carregadas de saudade
De uma angústia sofrida

Como posso ter certeza
Se minha alma chorou

Sonhei
Abraçada a mim
Para esquecer o passado
A noite foi longa
Mas ainda divago

Na maciez dos lençóis
Fechei os olhos
E recordei

Afinal o orvalho
Eram lágrimas de mim…

VEJO PALAVRAS



Vejo-me
Nas palavras que escrevo
Transparentes
Quentes
Como velas acesas
Que derramam ardor
Num encadear de teias
De sentenças proferidas

Fazem secar
As lágrimas que não chorei
Enredam tramas
Que feriram minha alma
Golpeiam sonhos
E se desvaneceram amarelecidos do tempo

Oh como vejo essas palavras em mim
Claras à luz
Mas apagadas na escuridão…

UM POUCO LOUCA



De pés amarrados
Num trilho de desgraças
Árduo, doído
Desato os nós
Que impendem meus passos

Quero desprender
Soltar
Para correr
Em passos largos
Nos caminhos da fantasia

Deixem-me
Ser um pouco louca
Sem nós que me prendam
Na minha existência…

VÉU ESQUECIDO



Véu que cobre
Meu corpo nu
Desliza
Suavemente
Sentindo tua presença

Um beijo
Um arrepio
Um estremecer
Uma carícia em meus cabelos

Mãos suaves
Percorrem caminhos
Lugares ocultos
Corpos que se cruzam
Entrelaçam
Encaixam
E vibram

Um véu caído no chão
Esquecido
Pelo amor incontido
Mansamente degustado…

(....)


Número total de visualizações de página
11500..........desde MAIO/​2011..........OBRIGADA!!!!!​!!!!!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

MAR



A brisa do mar
Tocou em meu rosto
Como um carinho teu
E fez meus cabelos voarem
Como pássaros em bandos

Mar
Praia
Onde me sento e medito
Na minha solidão
Que vai para lá do horizonte
Onde não tem medida
Nem peso
Mas que dói
Dentro do peito

Atiro conchas ao mar
Mas ele devolve-me saudades…

ABRAÇO DE ALMA



Desnudo-me
Na prostração dos sentimentos
Deixo enlear meu coração
Na doce imaginação
De quimeras vãs

Quero sonhar
Voar nas asas da fantasia
Soltar todo o meu expiar
E abraçar minha alma
Com bálsamos de Primavera…

MORRO



Vivo de ilusões
De sonhos
E paixões

Deambulo na imaginação
Do querer
E desejo

Mortifico meu ser
Em dores
E angústias

Petrifico-me na escuridão
Do silêncio da alma…

TORMENTOS DA ALMA



Relâmpagos
Clareiam os céus
Trovoadas
Estremecem a terra
Remoinhos de vento
Soltam a tempestade dentro de mim

Agita-se na alma
Vendavais loucos
Não dando paz
À minha existência

Espero
Que minha dor passe
Minha alma sare
De raios que a atingiram

Que tornados
Levem minha tristeza
Para bem longe….

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

TEMPORAL



Ao relento do entardecer
O céu escureceu
Sobre o mar manso
E procurei a minha estrela

Temporal
Em meu redor
Sem abrigo no porto

Ofusca-se meu esperar
No anseio de angústias
Num horizonte
Sem norte…

SONHO NO OLHAR



Meu olhar é fixo
No horizonte, talvez
Tentando ver
O que a alma esconde

Vagueio na imaginação
Desse misterioso olhar
No azul das águas do mar
Onde quero ir e não voltar

Olhar que me faz sonhar
Esquecer minhas penas
Para depois uma lágrima rolar….

ASAS QUE NÃO VOAM



Espaço negro e frio
Paredes velhas e ocas
Minhas asas não voam
Não tenho forças…

Minha alma emudeceu
Sangra lágrimas secas
De espinhos profundos
Em solidão dorida

Subi, mas minhas asas quedaram-se
Como minha alma
Nas profundezas do meu ser…

TEMPO



Horas do tempo que passa
De um tempo perdido
Num relógio sem tempo
Mesmo que presente
Sempre ausente

Horas
Minutos
Segundos
Sem tempo que conte
As tristezas sofridas
Lágrimas caladas
Soluços sangrados

Que o tempo volte atrás
Ou esqueça que o tempo existe…

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

RENASCER



Alma que hiberna
Do ser ausente
No renascer de amanhã

Que se eleve
Na seiva das raízes
Que de seu corpo brotam
Faça ressurgir alma nova
Pura e sã

Que clareiem os céus
E as estrelas brilhem mais alto

(.....)



Ventos da minha alma
Que perfumam
Num abraço
O calor de uma flor
Vêem de mansinho
Sussurrar-me ao ouvido
Palavras caladas
Pelos olhos do coração…

RENDAS




Mar..
Praia..
Ondas espraiando
deixando em seu lugar
rendas de espuma
na areia fina...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

REVOLTA



Deixem que as palavras
Me saiam livres
Sem correntes
A amordaçar
E amarrar
Porque estrebucho

Nem me tapem os olhos
Para não ver
Porque sinto
Cheiro
Pressinto
Passo a passo

Parem
Revolto dentro de mim
Dou gritos
“ais” sufocados
Mas não choro!
Esse, engulo
Até não mais aguentar…

domingo, 4 de dezembro de 2011

NAVIO



Navio da vida
Desfralda as velas
Dos mastros da alma
Navega pelos mares da solidão
Em delírios de temporal
Rasga as vagas imensas
Sob um céu de estrelas
Procurando um mar de calmaria
E em ilusão
Largares a âncora
Somente…

VENTO



Meus pensamentos
Divagam
Voam
Com o vento que passa

Queria voar também
Ir para bem longe
Parar numa ilha
Talvez

Mas o vento passou
E eu continuo aqui
Não passando de um sonho
Uma quimera vã

Falei ao vento
Mas ele não me ouviu….