sexta-feira, 16 de setembro de 2011

CASA AO RELENTO


Cansado pelo pesar dos anos
Descansa
Encolhido
Em noite fria
Em cama que sobrou
No silêncio de um banco de jardim
Numa casa com telhas de estrelas
Paredes de luar
Janelas e portas abertas
Aos olhares de quem passa

Solidão
É tua companhia.

O sonho
É teu agasalho …

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO