terça-feira, 6 de setembro de 2011

GRITO


Grito meu sufoco
Nó na garganta
Lágrimas que correm
Que não deixam falar

Grito de punhos fechados
Dor incontida
Expandindo
Revolta

Grito em desespero
Minh’alma ferida
Magoada
Maltratada
Escorraçada

Grito em puro alívio
Soltando ais
Ao vento que passa
Levando p’ra longe
Toda minha dor ….

Sem comentários:

Enviar um comentário

É NA PENUMBRA