sexta-feira, 23 de setembro de 2011

MAR


Mar de enredo
Enredado
Nas redes da vida

Mar tenebroso
Alterado
Em vagas de assombro

Mar de morte
De vida
Em corpos transportadas

Mar de choro
Cinzento
De almas agonizantes

Mar revolto
Sem partida
No horizonte sem fim ….

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário