quarta-feira, 21 de setembro de 2011

QUEM SABE


Por entre cordas
Que abafam
Desabafo pensamentos
Doridos
Sofridos
Estrangulando
Minha alma

Pesa meu coração
Sucumbir
Nesta aflição
De interior atado
Querendo
Soltar amarras
Sem deixar
Raízes

Meu rosto
Enrolado em nós
Roga que venhas
Livrá-lo
Num beijo
Mágico
Quem sabe …

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

SOU MULHER E MISTÉRIO