quinta-feira, 15 de setembro de 2011

JANELA DE ENCANTO


Janela dos meus encantos
Por ela vagueio
Num doce imaginar

Uma brisa
Toca meu rosto
Como carícias tuas
Trazidas pela saudade

Olho o mar
Serenamente
Como quem espera mensagens
Chegadas na espuma das ondas
À areia fina da praia

Corro
Nada encontro
Só uma meiga fantasia
Através do encanto da janela

Sem comentários:

Enviar um comentário

RENDER-ME AO CASTIGO