terça-feira, 20 de setembro de 2011

PARA NÃO CHORAR


Deixem
Soltar angústias
Guardadas no meu peito

Minha alma
Triste
Amargurada
Grita “ais”
Secos
Calados

Tudo gira
Em tempestade
Causando
Abalo interior
Abrindo brechas
Ferindo
E sofrendo
Para não chorar

Garras afiadas
Circundantes
Dilaceram
Esventram o pensamento
Profanando
A Vida
Desejada …

(Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé- Brasil)

1 comentário:

  1. NOSSA QUE BONITO ESTAS... Garras afiadas circundantes que dilaceram e se esventram o pensamento profanando a vida desejada... POR MUITO AMOR SOFRIDO... PARABÉNS MENINA PORTO.

    ResponderEliminar

UTANHA WÁTUA!

Singela homenagem a Carlos Gouveia (Goia),conhecido poeta Angolano Benguelense Retirado do seu livro com Edição CONVIVIUM BENGUELA 1972 ...