domingo, 25 de setembro de 2011

GUARDADA


Em pensamentos
Aprisionei
Todos os sonhos
Esperanças
Envoltos em mim

Em suspensão
Embrulhados
Corpo e alma
Numa metamorfose
Transformá-los

Abraçada a mim
Altero
Mudo
Gritando em voz muda
Mas está oculta

Alma dilacerada
No silêncio do refúgio
Terás paz
Por fim guardada …


Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

Sem comentários:

Enviar um comentário

RASAS E ESPINHOS