sexta-feira, 23 de setembro de 2011

DESCANSO


Fecho os olhos
Onde abraço
A imaginação
Da minha alma

Serenamente
Vou desfolhando
Amarguras
De um rosário
Vivido

Confundem-se ideias
Rolam em catapultas
Amálgamas de sentimentos
Que corroem
Num agitar de loucura

Quero
Pois os meus olhos
Longe de fantasias insanas
Retraídas em espíritos
Em descanso
Do sofrimento …

(Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé – Brasil)

Sem comentários:

Enviar um comentário