terça-feira, 27 de setembro de 2011

ROSAS DE PORCELANA


Recordo
Com nostalgia
Rosas do meu quintal
Aromas diferentes
Cores sem igual

Uma era especial
Por sua cor e beleza
Parecia ser vidro fino
Tal perfeição
Que a Natureza dotou
Quase não era real

Quem dera
Voltar a ter
No meu jardim de agora
Rosas de Porcelana
Para recordar com carinho
Quando as tive outrora …

Poema editado no Jornal O REBATE de Macaé - Brasil

1 comentário:

  1. ROSAS DE PORCELANA QUE AO SOL IRRADIA CORES EM PRISMAS DE AMOR REFLETINDO E ADENTRANDO MEU CORAÇÃO DOÍDO NA ESPERANÇA DO ENCONTRO SEU AO ACASO DA VIDA NESTA LINDA MANHÃ DE PRIMAVERA QUE CORRE COMO SE UM RIACHO FOSSE... PARABÉNS MENINA PORTO E BOM DIA...

    ResponderEliminar