sábado, 10 de setembro de 2011

MEU OLHAR


Atravesso
Com olhar
Para além
Da fantasia

Deambulo
Sem palavras
P’lo oculto
Do meu ser
Alma infeliz
Dilacerada
Furtiva
P’ra ninguém ver

Olhos que deixam
Ver espírito
Meus são despojados
Esvaídos
Encontram-se
P’ra lá da existência ….

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

ROSA NEGRA


Sinto em meu peito
Fragrância
D’uma rosa negra
Pele delicada
Sedosa

Por ti entregue
No meu seio
Leve tremor
Bateu

Botão rosa
No meu peito
Matando escasso
Das angústias
Vontades
Por mim trazidas

Rosa negra
Como as vestes
Que trago envergadas

PROVOCO


Olhar sensual
Fixas-me intensamente
Calor intenso
Um arrepio
Queres-me

Corpo que mexe
Sentidos teus
Coração bate forte
Quer sentir
Tocar

Mexer nos cabelos
Desnudar-me
Beijar
Acariciar
Percorrendo caminhos
Recônditos

Quero tua boca
Provoco que desejo
Em explosão …

SOMENTE


Desnudada
Esventrada
Luto por mim
Em angústia
Sofrida

Cai a chuva
No meu corpo
Mas não cai
Na minh'alma
Fechada
Trancada

Sinto frio
Sinto dor
Não tenho lágrimas
Que aqueçam
Somente
Meu abraço …

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

TEMPORAL


Ventos
Temporal
Fustigam em terra
Mar inquieto

Cabelos ao vento
Turbilhões
Levantando meu trajo
Como uma pena

Sinto-me alucinada
Como mar
Bramindo ondas
Em tormenta

Comporia encanto
Para conduzir renovado
Mar de bonança
Até meu refúgio de guarida

Mas temporal perdura
Em mar alteroso …

NA PRAIA


Deambulo
Em praia calma
Para ver
Teu bote chegar
Minha agonia é tão imensa
Pois da areia não abalo

Quero-te próximo de mim
No enleio nossos corpos
Tristeza é tão grande
Só mata-la com teus beijos

Acode velozmente em meus braços
Desejo sentir teu ardor
Sinto o isolamento
Gelada sem teu afecto ….

SENSAÇÕES


Tuas mãos tocam-me
Mansamente
Rogando mais

Tocas em meu ombro
Beijas a nuca
Dá um tremor
Deleite
Que rebenta

Beijas meu corpo
Despindo-me
Sentindo
Rendição

Como nos amamos
No nosso universo
Enleados quedamos
Natural encantamento ….

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

SEREI EU ...


Olho p’ra mim
Paro o olhar
Serei eu
Somente
Inocente
Destina

Tudo se liga
Numa natural
Mulher
Que concebe
Um imenso afecto
Durar

Olhos que rogam
Esse afecto
Em doce fim
Delineado

Boca que prova
Beijos ternos
Deleitosos
Ávidos
Por tanto querer

Quantas serei eu
Para tanta Afeição …

BOTÃO DE ROSA


Ferida ainda
Em botão de rosa

Chuvas não regaram
Secou

Murchou para sempre
Trucidada

Esvaiu-se em sangue
Morreu

Sua alma em chagas
Desapareceu …

NECTAR D'AMOR


Aguardo por ti
Para sorvermos
Doce néctar
Do ardor

Desejo teu corpo
Derramar
Para além
Das tenções
Sem limitações

Gozar
Devagar
Todo enleio
Nossas bocas
Beijos melosos
Sedentos

Entre fascino
Aguardarei por ti e
Beberemos sobe deleite …

terça-feira, 6 de setembro de 2011

MÃOS


Mãos
Afagam, dão carinho

Mãos
Suaves, deliciosas

Mãos
Magoam, torturam

Mãos
Calam, sofrimento

Mãos
Ferem, esmagam

Mãos
Atiram pedras
Matam ….

DOCE ENLEIO


Leves sussurros
Carícias
Desejos
Mãos que afagam
Num querer

Olhar que fala
Coração que sente
Extrapolar
Sensações múltiplas

Bater forte
Arrepio doce
Entre corpos
Que se encaixam
No enleio da paixão

Mãos saboreiam
Sentimentos
Roçar odores
D’encantamento
O mundo encerra
Neste enredo ….

GRITO


Grito meu sufoco
Nó na garganta
Lágrimas que correm
Que não deixam falar

Grito de punhos fechados
Dor incontida
Expandindo
Revolta

Grito em desespero
Minh’alma ferida
Magoada
Maltratada
Escorraçada

Grito em puro alívio
Soltando ais
Ao vento que passa
Levando p’ra longe
Toda minha dor ….

GAIVOTA


Vem
Como gaivota
Planando graciosa
Suavemente
Junto a mim

Num mar calmo
E doce
Vens serenamente
Ao meu encontro
Como quem sonha

Que o sonho
Não acabasse
E a gaivota
Não voasse
Para longe
Eu ter-te-ia
Para mim ….

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

AO SABOR DA CORRENTE


Solto notas
Molhando a melodia
Em prazer
De sinfonia

Ao sabor da corrente
Vão-se ouvindo
Trinados
Com sustenidos
E Oitavas
Em clave de sol

Águas calmas
Como uma valsa
Onde os corpos
Em leveza
Ondulam
Num som
Pianíssimo …

PENAS QUE SAGRAM


Penas
Que minh’alma
Dilacera
Vão matando
Lentamente

Feridas
Profundas
Chagas
Em meu peito
Corroendo

Lágrimas
Secas
Se misturam
Em sangue derramado
De penas
Cravadas ….

domingo, 4 de setembro de 2011

encontros


Nosso encontro é ímpar
Entre enleios
Beijos
Reflectem mais as estrelas
A Lua
Acorre ao nosso invento

São cúmplices
Que nada dirão
Deste nosso amor

No segredo da noite
Dois encontros
Lua e estrelas
Só para nós
…..

VIM PARA TI


Agora me possuis
Por completo
Só pra ti

Mãos amenas
Devagar
Tira a veste
Que me tapa

Desejo teu corpo
Espírito
Em união
Além da fantasia
Extravasando
A paixão

Vim para ti
Para desejo de mais …

PENSAMENTO


Vagueia
Teus espíritos
Penosos
Amargados
P’la falta
Incontida

Magoa na alma
Sofrer
Nada poder agir
Só conceber
Uma satisfação
Em espírito

Errante
Caído
Fantasias teu quarto
Alcova de amados
Deliciosos
No seu enlear

Ah como esfria alento
Por causa de tal pensamento ….

ROSA BRANCA


Em meu corpo
Depuseste
Rosa alva
Afeição

De pureza
Não pretendeste picos
Que causasse ferir
O teu amor

Imagem d’ afeição
Do fundo d’alma
Provando
Com bálsamo
De rosa branca ….

BAILADO À LUA


Vou saltar
Para a lua
Num balanço
Imaginário

Rotações
Algures
Mesmo perto dela
Brilharei
Com seu luar
Fascinante

É para a Lua
Meu trapézio oscila
Voou nele
Numa dança
Balanço
Balanço ….

O LAÇO



Com delicadeza
De mansinho
Em pontas dos dedos
Desata
O laço
Enleado

Desejo sentir-me
Alarga
Mais franca
Deste apertar

Delicia
Perfeita
Sentir teus dedos
Num fácil
Desprender
D’um nó
Que trago em mim …